domingo, agosto 12

Braga


"E teimo na minha terra: as ruas de Braga, cada esquina, cada pedra, quase um a um, vou transpondo os passeios estreitos das ruas velhas, tortas, a brancura das avenidas, as lojas, as igrejas, os largos. Ando por lá peregrinando. É noitinha, e os sinos a Trindades- tantos sinos, meu Deus! Os pardais esvoaçam, murmurantes, nas tílias do jardim. Ando por lá e ninguém dá conta. Que coisa boa"

Maria Ondina Braga

1 Comment:

sonia said...

Bom poder desfrutar dessas coisas por aí. Aqui seria uma temeridade, tal o número de assaltantes e bandidos e drogados que andam nas ruas, principalmente à noite!