quarta-feira, maio 16

Foi franco e isso é para mim o essencial.


Tinha na algibeira uma carta de Marco, a sua primeira carta:
«Querida Han Suyin», escrevia-me «achei-a encantadora e gostaria de a tornar a ver...»

(...)

Sentámo-nos nos tamboretes de bar de couro vermelho e o patrão cumprimentou-nos. Marco tomou um pink-gin e eu pedi um Martini.

- Espero que a minha carta não a tenha chocado - disse Marco.

- Surpreendeu-me, por ser tão directa, mas de maneira alguma me ofendeu. Era a melhor forma de se exprimir se realmente queria jantar comigo.

- Poderia ter-me achado impertinente.

- Não. Foi franco e isso é para mim o essencial.

Han Suyin in A colina da saudade,  pp.31-32, Círculo de Leitores, 1973


Han Suyin by Ida Kar

0 Comments: