sexta-feira, dezembro 4

[A] esta gripe...


ou da importância de ter um tapete amplo à porta de casa.
no dia seguinte ao concerto do Rodrigo Leão - e estou grata por isso, por ter sido depois - já a febre estava quase nos enta. dores no corpo, dores de cabeça. tudo normal, portanto. é gripe, pensei eu. tomei ben-u-ron, deitei-me. adiei os compromissos de segunda-feira, contando com os três dias da praxe para me reabilitar. o domingo foi passando, lentamente. e eu esquecida das refeições. pior: quando me lembrei, um enjoo completo. a ideia de me alimentar enjoou-me!!!!então, é gripe A! aliás, estou com os pés para a cova, diagnostiquei. [quem me conhece sabe do que falo] liguei para a linha Saúde 24. enquanto esperava, voltei a ouvir a voz da Celina da Piedade. depois, veio a enfermeira Mónica. absolutamente profissional. e querida. pela descrição deve ser a A, disse. fui a um hospital privado e ao fim de hora e meia, saí de lá com ordem de reclusão e isolamento, uso obrigatório de máscara e uma receita de ben-u-ron e brufen para alternar, de oito em oito horas. ordem para beber muitos líquidos, comer frutas, saladas.
dois dias que não havia forma de a febre não passar a 38, pelo menos. só o nestum com mel era o responsável por eu comer qualquer coisa. até que o meu estômago começou a doer. muito. voltei ao médico. desta vez, ao centro de saúde, onde encontraria a minha médica. saí ao final da tarde. de máscara. evidentemente. uns olham, desconfiados, outros risonhos, outros piedosos... uma senhora, no centro de saúde, em vez de se afastar, como a maior parte das pessoas, aproximou-se e, sentidamente, perguntou-me:
-como é que a menina consegue respirar com isso no focinho? coitadinha...
lá expliquei à senhora que a máscara não impedia a respiração, mas não saiu da minha beira convencida. desejou-me as melhoras e seguiu a sua vida, por outro corredor.
umas gotas de sol [vitamina D], uns comprimidos para o enjoo, magnésio e a suspensão do brufen, eram, agora, as novas instruções. todo o resto se mantinha constante. o isolamento imperativo. tal como a máscara.
novamente em casa, nem ler conseguia. nem ver televisão, nem nada. só dormir.
família e amigos ligavam a saber como estava, o que precisava. nada, nada. obrigada. só preciso ficar melhor. não te apetece nada em especial? não dizia eu, com pena. as gripes sempre foram momentos excelentes para me mimar com um docinho, um salgadinho, um inho culinário qualquer. desta vez. nem chocolate preto me apetecia. nem a aletria, quentinha, da minha mãe. aí, sim, pensei, vou desta.
mas os amigos, alguns, não acreditaram em mim, na minha falta de apetite, e, foi assim que descobri a importância de ter um tapete amplo à porta de casa. foi nesse tapete que aterraram algumas iguarias. ele era bolo rei do Doce Alto, empadinhas da Ribeiro, até um caldo verde do Alcaide. depois telefonavam-me e diziam: vai ao tapete, rápido, antes que o vizinho da frente leve :) são assim, os meus amigos, criativos e profundamente generosos, apesar de não me quererem ver nem pintada ;) nem eu a eles. até segunda-feira. tem de ser. a bem de todos.

12 Comments:

Carlos Azevedo said...

Votos de melhoras!

K said...

E eu, nem imaginas, preocupadíssimo com a falta de vida em Marta!

As melhoras e um beijo nesse "focinho" lindo ;)

Pedro Lopes said...

melhoras hoje e todos os dias

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Já andava a estranhar a ausência! Afinal foi o H1N1... diga -me lá uma coisa: esse tipo é mal encarado, ou suporta-se?
As melhoras e continue a ir ao tapete (para recher as oferas dos amigos, claro!)

Sílvia said...

Um beijinho e as melhoras, o mais breve possível.

Sílvia

C. said...

Ora ainda bem que foi só "uma gripezita" :=))))!
Já estava a estranhar tanto silêncio. Seja bem vinda e óptima recuperação.

Beijinho grande (que a mim não se me pega nada:=))

Marta said...

obrigada :)

sabem bem, esses miminhos :)

Jorge Freitas Soares said...

Eu ando desde sexta meio tonto, mas sem muita febre... eu não sou nada dado a gripes, mesmo nada, além disso estou vacinado contra a sazonal.. logo, isto só pode ser a versão light da A.... ou não :-)

Um beijinho e as melhoras

Jorge

sonja valentina said...

ora já falta tão pouco.... boa recuperação!!!!
beijos.

Sergio Storino said...

Marta,
Boa recuperação, minha amiga.
Um abraço

adevidacomedia said...

E eu adorei ouvir o amor pronunciado em "inho" lá em casa... :)

Dalaila said...

essa A que bateu à porta dos amigos e se calhar os amigos impestaram outros, se calhar tb desconhecidos, mas o importante é que o tapete se recheou, e que agora já passou minha linda.

e a A não quer nada com o K, pelo que percebi, deve ser uma simpatia das letras.