domingo, julho 1

O astro de dentro







Podia haver


[no lugar do coração]

um oceano, seis continentes, um avião

um astro azul ou um cometa envidraçado

uma pedra vinda do espaço

um quadrado ou mesmo um rectângulo arredondado,

podia ter

e nem teria terminado.





Até podia ter

[no lugar do coração]

um livro em branco, já escrito ou por escrever

um projecto de mundo, um traço

por nascente de rio ou mesmo um monte inacabado

um lápis, um bocado de giz ou um poema

que se escreve só por escrever,

que ainda assim,

ali, além, pelos jeitos dum fogo lento

no grande mar, peito adentro

ele, o astro refeito que comigo trago

continuaria sempre a bater.



Leonardo B

[Setembro 28, 2011]

[meu querido A. neste dia tão especial, muitos parabéns, com um dos teus poemas de que mais gosto. apesar da escolha ser mesmo muito muito difícil...obrigada pela tua imensa sensibilidade. sempre. abraço, marta]

1 Comment:

Leonardo B. said...

Tão Querida M.!

Aguardei (impacientemente) até este momento para agradecer da única forma que saberia; uma palavra que fosse não bastaria... então, muito rudimentarmente,

http://abarcadosamantes.blogspot.pt/2012/07/rapariga-do-fim-e-o-rapaz-do-inicio.html

para além desse imenso,

Imenso e Grato Abraço, Marta!