domingo, outubro 21

A meu favor tenho o teu olhar




A meu favor tenho o teu olhar


testemunhando por mim

perante juízes terríveis:

a morte, os amigos, os inimigos.



E aqueles que me assaltam

à noite na solidão do quarto

refugiam-se em fundos sítios dentro de mim

quando de manhã o teu olhar ilumina o quarto.



Protege-me com ele, com o teu olhar,

dos demónios da noite e das aflições do dia,

fala em voz alta, não deixes que adormeça,

afasta de mim o pecado da infelicidade.



Manuel António Pina, in Algo Parecido Com Isto, da Mesma Substância

4 Comments:

João Menéres said...

Muito bem, Marta.

Adormeceu...


Um beijo.

Claudia Sousa Dias said...

Sim.

Bípede Falante said...

Comprei uma antologia dele essa semana.
Estou fascinada.
É como se as palavras tivessem um olhar.
Beijoss

R. Vieira said...

Bom demais esta leitura!